22 de jul de 2017

Limites - A atual relação entre pais e filhos

Imagem ilustrativa: filme "Precisamos falar sobre o Kevin"


Como leio tudo que passa pela minha frente (rs) deparei-me com o texto abaixo e acho que ele se encaixa perfeitamente no relacionamento familiar entre pais e filhos da atualidade.

Entretanto, assusta-me a visão de que ainda pode piorar... Tenho presenciado diversas situações em que os filhos, principalmente crianças e adolescentes, apresentam atitudes desrespeitosas e agressivas com seus pais (principalmente com suas mães) e que essas - as mães - simplesmente não conseguem lidar com esse comportamento abusivo, fora do contexto hierárquico natural da comunidade familiar.

Leiam o texto e deem sua opinião. Gostaria de ouvi-los:

“Somos as primeiras gerações de pais decididos a não repetir com os filhos os erros de nossos progenitores.

E com o esforço de abolir os abusos do passado, somos os pais mais dedicados e compreensivos, mas,  por outro lado, os mais bobos e inseguros que já houve na história.”

A constatação trazida pelo artigo que circula pela internet é deveras interessante, e vale a pena ser estudada.

O texto continua dizendo: Parece que, em nossa tentativa de sermos os pais que queríamos ter, passamos de um extremo ao outro.

Assim, somos a última geração de filhos que obedeceram a seus pais, e a primeira geração de pais que obedecem a seus filhos.

Os últimos que tiveram medo dos pais e os primeiros que temem os filhos.

E o pior: os últimos que respeitaram os pais e os primeiros que aceitam que os filhos lhes faltem com o respeito.

Na medida em que o permissível substituiu o autoritarismo, os termos das relações familiares mudaram de forma radical, para o bem e para o mal.

Com efeito, antes se consideravam bons pais aqueles cujos filhos se comportavam bem, obedeciam a suas ordens e os tratavam com o devido respeito.

E bons filhos, as crianças que eram formais e veneravam seus pais.

Mas, à medida que as fronteiras hierárquicas entre nós e nossos filhos foram se desvanecendo, hoje, os bons pais são aqueles que conseguem que seus filhos os amem, ainda que pouco os respeitem.

E são os filhos que, agora, esperam respeito de seus pais, pretendendo de tal maneira que respeitem as suas ideias, seus gostos, suas preferências e sua forma de agir e viver.
E, além disso, que os patrocinem no que necessitarem para tal fim.

Quer dizer, os papéis se inverteram, e agora são os pais que têm que agradar a seus filhos para ganhá-los e não o inverso, como no passado.

Isto explica o esforço que fazem hoje tantos pais e mães para serem os melhores “amigos” e “dar tudo” a seus filhos.

Os filhos precisam perceber que, durante a infância, estamos à frente de suas vidas, como líderes capazes de sujeitá-los quando não os podemos conter, e de guiá-los enquanto não sabem para onde vão.

Se o autoritarismo suplanta, humilha, o permissível sufoca.

Apenas uma atitude firme, respeitosa, lhes permitirá confiar em nossa idoneidade para governar suas vidas enquanto forem menores.

Vamos à frente liderando-os e não atrás, carregando-os, e rendidos à sua vontade.
É assim que evitaremos que as novas gerações se afoguem no descontrole e tédio no qual muitos estão afundando, descuidados.


Os limites abrigam o indivíduo. Com amor ilimitado e profundo respeito.


12 de jul de 2017

Brasil: Desordem e Retrocesso!



Para quem encontrou alguma razão para comemorar o Dia dos Trabalhadores em maio, agora está entendendo o porquê da minha postagem anterior.

O que faremos agora? Se já havia abuso de poder no mundo corporativo sobre seus trabalhadores, o que esperar desses mesmos empregadores?

Sem muito o que dizer mais e lamentando por nosso retrocesso, deixo abaixo a matéria publicada na mídia Brasil 247:

1 de mai de 2017

Dia do Trabalhador - 12 razões para não comemorar

Foto: gazetadopovo.com.br


Produzi um “textão” onde levantei alguns tópicos da reforma trabalhista que provavelmente será aprovada. Todas as fontes pesquisadas encontram-se no final desta postagem.

Não há razões para comemorar o 1º de Maio nem os demais dias dos anos subsequentes, graças a essa nova lei que regerá as relações trabalhistas. É uma equação simples: mais poder de fogo aos patrões = menos vantagens e ganhos do escravo empregado.

Tudo culminará na extinção da aposentadoria, próximo projeto a ser votado e, com certeza, aprovado.

Como todos sabem, a reforma trabalhista proposta pelo Governo Temer foi aprovada pela Câmara dos Deputados na última quarta (26/04) e deverá ser encaminhada para o Plenário na próxima quarta (03/05).

Conheça alguns dos itens que afetarão você, empregado ou à procura de trabalho:

1- Férias Anuais - PARCELAMENTO
            Poderá ser dividida em até 3 (três) vezes.

2- Jornada de Trabalho
            Poderá ser estendida até 12 HORAS DIÁRIAS (12x36 conforme já utilizada por algumas classes como hospitais, empresas de vigilância e porteiros), e a semana passará a ser de 48 horas.

3- Transporte alternativo (quando não há acesso ao transporte público e a empresa fornece os meios para locomoção)
            Não mais será computado como parte da jornada.

4- Intervalo durante a jornada de trabalho de no mínimo 30 minutos.
            Para o trabalhador que cumpria jornada acima de 6 horas e almoçava por apenas 30 minutos, o TST condenava a empresa a pagar  1 hora e 30 minutos, com 50% de adicional, tendo reflexos em férias e décimas terceiro para cálculo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Com a reforma, os 30 minutos excedente serão SUPRIMIDOS.

5- Trabalho Terceirizado EM TODAS AS ATIVIDADES

6- Rescisão Contratual
            Passará a ser feita na própria empresa com a presença dos advogados de ambos os lados. CONTRATE UM ADVOGADO caso seja demitido ou peça demissão.

7- Grávidas ou lactantes em lugares insalubres
            Poderão trabalhar em atividades insalubres com apresentação de atestado que garanta que não há riscos. (Necessário dizer que a empresa providenciará um médico que ateste isenção de riscos à grávida ou ao bebê?)

8- Equiparação Salarial
            Caso você trabalhe em uma empresa que faz parte de um grupo corporativo, não mais poderá solicitar equiparação salarial com outro funcionário que exerça a mesma função em outra empresa do mesmo grupo.

9- Gratificação em cargo de confiança
            Apos 10 anos em cargo de confiança, a gratificação não mais será integrada ao salário. A remuneração será revertida ao cargo anteriormente ocupado.

10- Acordo para receber metade do Aviso Prévio indenizado
            Em caso de acordo na demissão, o funcionário receberá METADE DO AVISO PRÉVIO e movimentará apenas 80% DO FGTS, SEM DIREITO AO SEGURO DESEMPREGO.

11- Pagamento de honorários ao advogado em Reclamações Trabalhistas
            Serão devidos honorários pagos aos advogados pela parte que perde à parte que ganha, entre 5% e 15% sobre o valor que for apurado no processo. Isso valerá também para beneficiários da Justiça Gratuita, que ficará com a obrigação “em suspenso” por até dois anos após a condenação.

12- Trabalho intermitente
            Forma de contrato por hora e não por 30 dias consecutivos. As horas não trabalhadas não geram obrigação ao empregador, não sendo mais consideradas “horas à disposição”. Será mais difícil conciliar outras atividades remuneradas, uma vez que a qualquer momento um dos empregadores solicitará sua presença gerando conflito na agenda. Se não puder comparecer na hora solicitada, procure outro trabalho...


Retirado do Jornal Extra:

“A advogada Gisela Galceran, do escritório Basile Advogados, avalia a reforma vai fragilizar o processo de negociação:
— As mudanças vão fragilizar as relações. Patrão e empregado poderão negociar pontos como jornada de trabalho e banco de horas, mas a decisão do empregador é que vai determinar, pois o funcionário vai ter medo de perder o emprego e aceitará as questões por imposição do trabalhador.”

Retirado do Notícias ao Minuto:

“Uma publicação da juíza do trabalho Tamara Valdívia Abul Hiss em seu perfil no Facebook já teve milhares de compartilhamentos, pois explica alguns pontos da reforma trabalhista que muitas pessoas não tem conhecimento.

Tamara escreveu: "Para quem acha que essa Reforma Trabalhista vem para modernizar as relações de trabalho e não para retirar direitos, sugiro uma lida rápida em algumas "novidades" por ela introduzidas".

A seguir, a juíza destaca que, com a reforma trabalhista, um “patrão” poderá criar uma nova empresa, com os mesmos sócios, e mesmo que ela seja sócia majoritária da empresa em que o cidadão trabalha, ela não responderá por nenhuma verba trabalhista. "Este é o novo artigo 2º, §3º da CLT", explica a magistrada.

Ainda segundo a avaliação de Tamara, se um “patrão” vender a empresa, ele não será mais responsável por suas verbas trabalhistas. "Mesmo que você trabalhe 5 anos para ele, e 1 dia para a empresa nova", explica. Esse é o novo artigo 448 da CLT.

Já o artigo 3º, §2º da CLT, define que, se uma marca famosa de roupas contratar uma empresa para fabricar exclusivamente suas roupas, e esta explorar trabalho análogo ao de escravo, esta marca não poderá mais ser responsabilizada de nenhuma forma.

Tamara Hiss ainda comenta sobre o artigo 442-B da CLT. "Alguém te disse que você poderá ser contratado sempre como “autônomo”, independente de sua função, ainda que trabalhe exclusivamente para seu patrão todos os dias? Vai sobrar algum empregado?", questiona a juíza.”

Fique à vontade para deixar seu comentário.

Fontes:

  • examebril.com.br
  • brasil.elpais.com
  • extra.globo.com
  • noticiasaominuto.com.br

7 de abr de 2017

Atenção às Redes Sociais - você pode estar desempregado ainda, por causa delas!




Retomando minhas postagens resolvi começar com uma dica para você, que está desempregado(a) mas é um amante das redes sociais.

Devo admitir que na minha época (e entrei no mercado de trabalho há longos 37 anos atrás) era bem mais fácil encontrar um emprego remunerado.

Não, não estou aposentada. Tenho 54 anos de idade, algumas empresas em que prestei serviço não repassaram o INSS e em outras não assinei a carteira de trabalho, pensando apenas em trabalhar para me sustentar e, posteriormente, sustentar minha família. Hoje faz uma diferença monstruosa porque aquele Órgão não reconhece meu tempo de serviço além de me considerar jovem demais para a aposentadoria... risos... isso é o Brasil.

Ah, mas dirá você, Temer se aposentou aos 55 anos, outros do alto escalão governamental também o fizeram, e isso é um absurdo!!! Concordo plenamente e grito com vocês a plenos pulmões. Entretanto, Temer com certeza não começou a trabalhar com 14-15 anos, não teve subempregos, não foi professor, e conseguiu sua aposentadoria por meios, sabe-se lá quais... Mas isto é assunto para outro post.

Meu objetivo aqui é alertá-lo(a) sobre como está o mercado de trabalho HOJE. Nunca fiquei mais de dois meses desempregada, e quando isso acontecia, entrava em desespero. Hoje, vejo jovens há mais de 8 meses fora do mercado de trabalho, sofrendo com exigências absurdas por parte dos empregadores que querem mais qualificação e trabalho em troca de uma baixa remuneração. Independentemente da carga tributária exercida pelo Pais na admissão de empregados (o que sempre ocorreu), os pequenos e grandes empresários, visando apenas seus lucros, não se importam com as condições ofertadas já que a procura é bem maior que a oferta.

Agora, supondo que você tenha o grau escolar exigido, bem como as qualificações e experiências procuradas para atender às exigências do seu possível futuro patrão, você ainda poderá não ser escolhido. Por que? Redes Sociais.

Portanto, preste MUITA atenção ao que você posta, compartilha ou comenta. Os departamentos de RH das empresas estão consultando sua vida, e a internet fornece essas condições. Pelo Google, eles podem saber quais processos judiciais em que você está envolvido, seja como autor ou como réu. Sabe também como rastrear seu Facebook, o do seus amigos e parentes para verificar seus comentários e, se por alguma razão, ele ou ela não pactuarem com suas opiniões, acredite, você sequer será cogitado para a vaga.

Há uma postagem no G1 com o título "Postagens negativas podem eliminar você de uma vaga de emprego" datada de fevereiro de 2017, ou seja, noticia fresquinha. Na maioria das vezes, sua postura nas redes sociais diferem totalmente daquela que você manteve em uma entrevista, em um processo seletivo (link http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/concursos-e-emprego/noticia/2017/02/postagens-negativas-podem-eliminar-voce-de-uma-vaga-de-emprego.html).

Portanto, além das já condenáveis como homofobia, racismo,  intolerância seja ela qual for, as curtidas e opiniões também são avaliadas para uma possível contratação. Os profissionais encarregados pela seleção têm hoje uma ferramenta poderosa em suas mãos para vasculhar (stalkear como se diz hoje) a vida de qualquer um. Porque não a usariam para analisar SUA vida, a vida de um possível colaborador na empresa deles?

Pense nisso e apague suas pegadas, caso seja possível, de qualquer postagem indesejável. Guarde suas opiniões censuráveis para você. Afinal, não somos perfeitos mas a sua imperfeição, arrogância e hipocrisia (se for o seu caso) vai mantê-lo mais distante ainda do seu salário, da sua colocação e até de você mesmo (o que considero muito pior).

Reflita! Além de não poluir a rede, você terá garantido seu pão de cada dia.

Pretendo, nos próximos posts, fornecer informações e dicas para ajudar você, no que for possível, a melhorar suas entrevistas, currículos e links úteis de busca, de sites que não cobrem. (Outro absurdo!)

Abro a postagem para suas sugestões e comentários.


Fique em paz!