21 de set de 2011

Números que Impressionam

"Cada povo tem o governo que merece." - Joseph De Maistre, filósofo e diplomata francês

Fui informada de que existe um site onde você pode participar de votações emitindo sua opinião, como cidadão brasileiro, sobre vários itens que são votados no Congresso Nacional.


Trata-se de enquetes realizadas pelo DataSenado que dá voz aos internautas. Pode não ser de grande utilidade na discussão da pauta de projetos que tramitam naquela Casa, mas é no mínimo curioso. O próprio site adverte que as enquetes não podem ser avaliadas como a expressão do povo brasileiro justamente pela quantidade de participantes.


Obviamente seu voto servirá apenas como estatística mas se propõe a avaliar o que o povo pensa sobre determinados assuntos de relevância para o nosso País.


Eis alguns assuntos que já foram pesquisados com seus respectivos resultados:


Você é a favor ou contra o projeto que torna crime a criação de identidade ou perfil falsos na internet?
61.490 votos, sendo 31,6% a favor e 68,4% contra.


Você é a favor ou contra o projeto que inclui os atos de corrupção na Lei dos Crimes Hediondos, que aplica punições mais severas aos condenados?
426.618 votos, sendo 99,4% a favor e 0,6% contra.


Você é a favor ou contra o projeto que cria cadastro nacional, de acesso público, sobre condenados por pedofilia?
Apenas 1.458 votos, sendo 85,7% a favor e 14,3% contra.


Você é a favor ou contra o projeto que permite o aborto de fetos anencéfalos?
22.458 votos, sendo 39% a favor e 61% contra.


O site mostra muitos outros assuntos polêmicos como a alteração na identidade para os transexuais que desejam registrar oficialmente seu prenome social, reserva de vagas para idosos em concursos públicos, propaganda de bebidas alcoólicas, doações eleitorais, esterilização de cães e gatos, exame da OAB e por aí vai...


O que se pode avaliar, inicialmente, é que o povo se predispõe a realizar ligações para votação no BBB que arregimenta 51.108.875 de telespectadores, se dispõe a ir para as ruas para participar da parada gay que reúne 4.000.000 de pessoas, adora o carnaval carioca que une aproximadamente 2.000.000 de foliões por dia somente no Rio de Janeiro, enquanto que votações de cunho nacional juntam, no máximo, 426 mil votos (como visto acima), apenas 200 pessoas na passeata em Copacabana pela Paz no Rio, e 100 pessoas pelo movimento que repudia o assassinato da juíza em Niterói...


Esse desequilíbrio e o descaso da população pelos assuntos que realmente interessam ao povo é assustador. É muito fácil reclamar dos políticos, da corrupção, de valores distorcidos, mas efetivamente, são poucos os que levantam sua voz em busca de justiça.


Fica a denúncia e a sugestão para engordar as votações do Congresso, através do site do Senado.


Atualmente, e até o dia 30 de setembro, está em votação a enquete sobre o projeto de lei que veda o uso, fabricação, importação, comercialização e distribuição de sacolas plásticas não biodegradáveis. Apenas 736 votos até este momento.


Participe! Seja um dos brasileiros que se importa com os assuntos que realmente importam ao povo.


Comente este post, siga meu blog e você já estará participando do sorteio do áudio-livro "O Efeito Facebook".



18 de set de 2011

A Diferença entre o Rico e o Pobre

Imagem: programacantodaterra.blogspot.com
Da série "na internet" vem o texto abaixo que reproduzo para seu deleite. De acordo com ele, o rico não é rico porque tem dinheiro mas porque pensa diferente do pobre. E compartilho com este pensamento pois acredito ana energia que nossos pensamentos emanam. Experimente, comece a vibrar positivamente e verá como tudo ao seu redor mudará para melhor.

O que você acha?

Imagem: tabernadoveon.blogspot.com

O rico acredita que pode moldar o seu destino. O pobre acredita que o destino acontece.O rico assume o compromisso de ser rico. O pobre gostaria de ser rico.O rico entra no jogo do dinheiro pra ganhar. O pobre entra no jogo do dinheiro pra não perder.O rico usa juros a seu favor. O pobre usa juros contra ele mesmo, porque quer tudo pra agora.O rico admira pessoas ricas e as toma como exemplos. O pobre detesta pessoas ricas e as toma como exemplos de mau caráter.O rico se aproxima de indivíduos bem-sucedidos. O pobre prefere amigos que, como ele, passam dificuldades financeiras e são fracassados.O rico diz “como posso ter isso”? O pobre diz “não posso ter isso”.O rico estuda investimentos e faz planos. O pobre diz que “não tem tempo para estas coisas”.O rico é um ótimo recebedor. O pobre é um péssimo recebedor.O rico paga a si mesmo primeiro. O pobre paga aos outros primeiro.O rico prefere ser remunerado pelos resultados. O pobre prefere ser remunerado pelo tempo dispendido.O rico foca no patrimônio líquido. O pobre foca no rendimento mensal.O rico, quando sofre uma adversidade, se pergunta “como posso tirar proveito disso?”. O pobre, na adversidade, se lamenta.O rico identifica os ricos pela sua educação financeira. O pobre identifica alguém como “rico” pelos bens materiais que exibe.O rico busca a prosperidade financeira. O pobre confunde essa busca do rico com falta de espiritualidade.O rico foca na solução. O pobre foca no problema.O rico, numa compra parcelada, calcula os juros embutidos e faz contas para decidir se a compra vale a pena. O pobre só observa o tamanho da parcela.O rico põe seu dinheiro para trabalhar duro para ele. O pobre trabalha duro pelo seu dinheiro.O rico administra bem o seu dinheiro. O pobre deixa a vida o levar.O rico tem uma visão realista dos investimentos. O pobre quando investe pensa apenas no curtíssimo prazo e espera lucros absurdos.O rico não despreza um rendimento passivo, mesmo que pequeno. O pobre diz “o que adianta botar o dinheiro na poupança se rende tão pouco?”O rico age apesar do medo. O pobre fica paralisado pelo medo.O rico foca em oportunidades. O pobre foca em benefícios.O rico pensa grande. O pobre pensa pequeno.Se o rico ganha um valor, em algum tempo o patrimônio terá aumentado. Se o pobre ganha um valor, em algum tempo o patrimônio terá desaparecido completamente.Se você tirar todo o dinheiro de um rico, depois de algum tempo ele estará recuperado. Se você tirar todo o dinheiro de um pobre, ele dependerá de outras pessoas para sobreviver.O rico diz “tenho que ser rico por causa de vocês, meus filhos”. O pobre diz “não sou rico porque tenho filhos”.O rico tem um plano de independência para o futuro. O pobre acha que trabalhar até morrer e depender do governo e dos filhos é um plano razoável.O rico diz “posso ter as duas coisas”. O pobre diz “posso ter isso ou aquilo”.O rico procura se aprimorar sempre. O pobre acredita que já sabe tudo.O rico diz “que lição posso aprender com este erro?”. O pobre diz “desde o começo eu já sabia que não daria certo”.O rico encara um fracasso como um aprendizado. O pobre encara um fracasso como um alerta para nunca mais se arriscar.O rico fica cada vez mais rico. O pobre fica cada vez mais pobre.
Comente, sua opinião vale um áudio-livro!

Na Bienal - final


Adoro a lua e não poderia deixar de registrar o momento em que chegou à Bienal  


Concluindo minha visita à Bienal, vamos às surpresas.


Enquanto eu visitava minha amiga que ganhou o primeiro prêmio do Concurso Literário "Rio de Janeiro, Palavra Maravilhosa" com sua poesia  "Rio de Janeiro e de Todos Nós", liberei meus filhotes para bienar sem mim.


Ao reencontrá-los, estavam radiantes. Conheceram Mauricio de Souza, tiraram fotos e ainda conseguiram o autógrafo dele em duas revistas.


Os olhinhos deles brilhavam! Embora eu não tenha participado deste encontro, fiquei muito feliz por eles.
Para eles, essas revistinhas valem ouro agora.

Eles com Mauricio e eu com minha amiga Diva Ana Maria, que, como eu disse acima, ganhou um prêmio por sua poesia.

Logicamente, eu não poderia deixar de prestigiá-la, mas infelizmente eu estava sem a câmera (que estava com as crianças e o Mauricio):
Ganhei um autógrafo, oba!
Boton do blog da Ana
Boton das Divas, também feito pelo Atelier TQ
Outro encontro maravilhoso foi com Paul Young, autor do livro "A Cabana". 

Escritor super simples, humilde, emocionou-se diversas vezes durante o encontro, contou particularidades de sua vida como os onze anos vivendo com a esposa sem que ela lhe direcionasse qualquer ato de carinho por conta do grande deslize que ele cometeu durante os primeiros anos do seu casamento. Mencionou também suas perdas familiares e os momentos em que foi sexualmente abusado e, mesmo diante de tanto drama, sobreviveu e hoje é uma pessoa muito mais madura, evoluiu enquanto homem e ser humano, brindando-nos com esse livro maravilhoso, inicialmente escrito apenas para os filhos, sendo posteriormente distribuído aos amigos e, devido ao sucesso, seguindo a trajetória até nossos lares.

De acordo com ele, o Brasil é o segundo maior público consumidor do livro. 

Babei!

Agora, os outros momentos:
Fátima Veste Prada (estilo Gold)...
Relembrando a infância com Luluzinha
E a lua encerrando a noite...

Se você também foi à Bienal, conte-me como foi, do que mais gostou, e não se esqueça de que seu comentário vale um áudio-livro!