11 de fev de 2012

Ouvir Poesia na Web - Fernando Pessoa

Hoje dei início a um projeto que fazia minha cabeça fervilhar: gravar poesias para que os amantes dessa arte tenham a oportunidade de ouvir na web o que muitas vezes tem preguiça de ler... 


Não culpo ninguém, não. É que o país possui poucos leitores... 


Ou ainda, para os amantes da arte de escutar, simplesmente, a poesia, sentindo-a em sua alma


Então, seguindo o instinto, achei que um pouco de poesia no meu blog seria  muito legal, afinal "de tudo um pouco, do lixo ao luxo"!


E para começar, um dos poetas que mais admiro: Fernando Pessoa.

Escute aqui: 

Adiamento
Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã…

Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,

E assim será possível; mas hoje não…
Não, hoje nada; hoje não posso.
A persistência confusa da minha subjetividade objetiva,
O sono da minha vida real, intercalado,
O cansaço antecipado e infinito,
Um cansaço de mundos para apanhar um elétrico…
Esta espécie de alma…
Só depois de amanhã…
Hoje quero preparar-me,
Quero preparar-me para pensar amanhã no dia seguinte…
Ele é que é decisivo.
Tenho já o plano traçado; mas não, hoje não traço planos…
Amanhã é o dia dos planos.
Amanhã sentar-me-ei à secretária para conquistar o mundo;
Mas só conquistarei o mundo depois de amanhã…
Tenho vontade de chorar,
Tenho vontade de chorar muito de repente, de dentro…
Não, não queiram saber mais nada, é segredo, não digo.
Só depois de amanhã…
Quando era criança o circo de Domingo divertia-se toda a semana.
Hoje só me diverte o circo de Domingo de toda a semana da minha infância…
Depois de amanhã serei outro,
A minha vida triunfar-se-á,
Todas as minhas qualidades reais de inteligente, lido e prático
Serão convocadas por um edital…
Mas por um edital de amanhã…
Hoje quero dormir, redigirei amanhã…
Por hoje, qual é o espetáculo que me repetiria a infância?
Mesmo para eu comprar os bilhetes amanhã,
Que depois de amanhã é o que está bem o espetáculo…
Antes, não…
Depois de amanhã terei a pose pública que amanhã estudarei.
Depois de amanha serei finalmente o que hoje não posso nunca
Só depois de amanhã…
Tenho sono como o frio de um cão vadio.
Tenho muito sono.
Amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã…
Sim, talvez só depois de amanhã..
O porvir…
Sim, o porvir..


Tudo a ver com o sábado, não é? 
Se gostou, deixe seu comentário. Seu incentivo e sua opinião valem muito para mim!

Postar um comentário