14 de ago de 2011

Dia dos Pais e das "Pães"



Pães?!? Por que não? São Mães que são Pais, que substituem bravamente a ausência do pai, seja por qual motivo for: porque ficou viúva, porque o pai abandonou a família, porque ele não é uma figura presente, porque ele não exerce a paternidade, não importa a razão.


As "Pães" são aquelas mães que lutaram (e ainda lutam) em manter seu(s) filho(s) na linha reta da cidadania, que dão o suporte financeiro, que mimam, que educam, que trabalham fora e em casa cobrindo a maternidade e a paternidade ao mesmo tempo, que tem que ser femininas e masculinas, que trocam a resistência do chuveiro com o mesmo amor com que preparam a refeição dos filhos, que brincam de carrinho, pipa, futebol, jogam vídeo game, brincam de boneca, roupinhas, casinha, álbuns de figurinha, que conversam sobre sexo com os meninos ou com as meninas, que explicam o que é a vida, que os mantém distante das drogas e das más companhias, que são lobas e lobos, ao mesmo tempo.


Parabéns à essas mulheres guerreiras, fortes, bravas que, mesmo sendo arrimo de família, passam ternura e amor à sua prole, independentes de qualquer convenção social. 


E que, melhor ainda, interpretam tão bem os dois papéis, que ouvem seus filhos comentarem que não sentem falta da figura do pai.


Isso é uma grande vitória! É solitária, é árdua mas é a satisfação de cumprir não somente um mas dois papéis.


Parabéns às "Pães"! Que Deus nos abençoe!
Postar um comentário